Blog

O que é Constelação Familiar

Constelação Familiar


Você sabe o que é Constelação Familiar?

É um método que foi desenvolvido por Bert Hellinger para tratar questões profundas e insconscientes, que estão ligadas a um consciente coletivo familiar e traz informações do campo morfogenético.

Ela serve para olharmos para diversas questões que estão ligadas a nossas relações, ela é, portanto, uma ciência que observa as relações. Assim é possível que a pessoa olhe para a própria vida de uma outra perspectiva. E esse olhar de fora traz mais profundidade para as reflexões sobre as relações. Porque quando nos propomos a tratar de uma questão através da constelação familiar, acessamos um campo diferente de informação, um campo que não estamos conscientes.

Esse campo morfogenético é um campo de informação, uma informação que está no nosso subconsciente. E ao tomar consciência daquilo que estamos emaranhados conseguimos dar um passo adiante e nos conectar com outras possibilidades. Com isso, é possível trabalhar em nossas vidas uma energia diferente, de aceitação, amor e gratidão. A constelação familiar permite uma tomada de consciência que vai abrir portas para cenários diferentes.

O processo é chamado constelação familiar porque é na família que encontram-se as bases para todas as nossas relações. Quando trabalhamos as situações familiares conseguimos desenvolver muito melhor todas as outras áreas. É como se carregássemos tudo que temos dentro da nossa família para dentro de outros sistemas. Essa herança transgeracional está presente em todos as áreas da nossa vida, portanto a constelação familiar tem um efeito generalizado. Ao olhar para o passado, e depois entender sua importância, é possível trazer uma movimentação nova para o sistema.

A tomada de consciência desses movimentos de verdade nos mostra que nossa vida está sendo levada para um caminho e talvez podemos escolher outro, isso resulta em um grande alívio. A constelação familiar pode, inclusive, ajudar na resolução de conflitos e em casos de doenças e depressão, uma vez que a pessoa que resolve suas pendências passa a se conectar cada vez mais com a vida.

A área da constelação familiar conta com um principal contribuidor teórico, o Bert Hellinger. Ele levou o processo de constelação a frente e desenvolveu um conhecimento muito importante e diferenciado. Hellinger era um psicoterapeuta experiente que se identificou com o processo da constelação e passou a explorá-lo de maneira respeitosa e verdadeira. Ele nunca se colocou como um transformador das pessoas. Ele sabia que a força da transformação está em cada um, e o facilitador está lá apenas para guiar os passos desse sistema familiar ao colocar algo em ordem, assim soluções mais leves e amorosas ocorrem naquele sistema. Sua esposa, Sophie Hellinger, atualmente administra a fundação criada por Bert Hellinger. Além dele, outro estudioso importante para a constelação familiar é Rupert Sheldrake, um biólogo que estuda o campo morfogenético com mais profundidade.

 

E a Constelação Sistêmica?

 

          A constelação familiar e a constelação sistêmica são a mesma coisa. O termo ‘constelação sistêmica’ foi adotada porque a constelação pode ser aplicada em diversas relações, não apenas as familiares. É possível constelar relações de trabalho, amizades, situações de processos jurídicos e momentos de conflito, por exemplo. Apesar da família ser muitas vezes a origem de outros conflitos, algumas pessoas passaram a usar o nome constelação sistêmica para tirar a ideia de que a constelação serve apenas para o âmbito familiar.

 

Como Funciona a Constelação em Grupo?

 

          Antes da constelação familiar em grupo acontecer, a pessoa que vai fazer a constelação tem uma conversa com o facilitador, podendo ser breve ou uma consulta mais detalhada, para identificar o que precisa ser trabalhado. A seguir, um grupo de voluntários trabalha para desenvolver a constelação familiar. Mesmo para aqueles que apenas participam da constelação de outras pessoas, o contato com o campo morfogenético as transforma e dá consciência do que precisa ser trabalhado em suas vidas. A pessoa constelada, então, assiste o grupo conectado com o campo morfogenético manifestando o seu sistema familiar. O grupo não sabe qual o assunto está sendo trabalhado nem quem eles estão representando, portanto não há exposição da vida da pessoa constelada.

Esse anonimato garante que não haverá nenhum julgamento durante a constelação, e isso é muito importante para garantir que a constelação familiar vai ser bem-sucedida. O campo é quem deve guiar a constelação, não se pode interferir muito nele, ele é um campo de verdade e por isso tem força. E quando o facilitador se coloca à disposição do campo, ele permite que a pessoa constelada consiga se fortalecer cada vez mais.

Essa força vem através da tomada de consciência de uma dor que ficou lá trás, uma desarmonia que precisava ser posta em ordem. Ao fazer a constelação familiar, e ordenar o sistema, a pessoa se conecta com uma força maior, a força dos ancestrais, e isso a fortalece.

 

Como Funciona a Constelação Individual?

 

          A constelação familiar individual usa bonecos ao invés de pessoas para representar o sistema familiar. Mas, não são todos os assuntos que podem ser constelados individualmente, isso vai depender da orientação do facilitador.

          A presença de um grupo de pessoas deixa o campo morfogenético com uma energia mais forte e algumas conexões exigem essa energia, portanto é necessário um grupo. Dependendo do assunto trabalhado a constelação individual pode ter resultados mais lentos, logo o facilitador precisa conhecer a situação para ver se a constelação individual é o mais indicado.

          Quando se pode realizar a constelação individual, é possível trabalhar também com hipnose clínica e regressão. Nesse estado de consciência alterado é mais fácil trabalhar os assuntos necessários.

 

O Que Pode Ser Constelado?

 

          Tudo que envolve relações pode ser constelado, como assuntos familiares, profissionais e sociais. Problemas de hierarquia na empresa, relações de amizade, projetos na área profissional, conflitos familiares e até mesmo condições como obesidade e depressão podem ser trabalhados através da constelação familiar.

          O importante é saber que a constelação deve ser feita para questões essenciais, questões de peso em nossas vidas que precisamos resolver. Para questões mais simples, dúvidas e para conseguir um pouco mais de clareza não é necessário fazer a constelação completa. Para isso, existem exercícios que podem ser realizados para solucionar questões menores.

         

O Que Acontece Depois da Constelação?

 

          Depois de realizar a constelação familiar o alívio é muitas vezes imediato, muitos terminam o processo com um sentimento de leveza. Mas, para alguns casos, ao invés do alívio outros sentimentos mais incômodos vem à tona, e isso vai depender do assunto que foi trabalhado. Quando é preciso trabalhar na arrogância, por exemplo, as pessoas costumam sair da constelação mais inquietos do aliviados.

          Com o passar do tempo as coisas vão agindo, mas não é possível definir um tempo específico para que os resultados apareçam. Os resultados para adultos costumam aparecer depois de um mês, mas isso depende muito de cada caso. De qualquer forma, o processo continua reverberando por muito tempo.

          Também faz parte do processo continuar aprendendo sobre a filosofia por trás da constelação porque ela pode ter influência no nosso dia a dia, e isso melhora o inconsciente familiar e a vida flui melhor. Por isso, após a constelação é importante não falar sobre ela por uma semana, assim o campo não perde força e continua agindo.

Não é possível mensurar a importância da constelação familiar na vida de uma pessoa, porque esse é um processo que vai deixar o sistema familiar mais harmônico agora e para as futuras gerações. A partir dela é possível desenvolver um olhar mais humano para as relações. Esse é um processo de aprendizado, evolução e tomada de consciência que melhora todas as nossas relações.